Páginas

Que Ração escolher?

Todos os donos responsáveis se deparam com o mesmo problema quando se dirigem pela primeira vez a uma loja de animais e se vêem confrontados com dezenas de rações diferentes: “e agora, qual será a melhor para o meu cão?”

Na verdade, a resposta a esta pergunta não é imediata, mas há algumas pistas que se poderão seguir de modo a escolher o melhor possível.
Exclui-se qualquer tipo de comida gelatinosa já que esta contém substâncias açucaradas para prevenir o aparecimento de fungos, para além de conservantes altamente cancerígenos. Para piorar o cenário, este tipo de alimento é viciante. Ou seja, um cão depois de o comer irá recusar a ração. Não é garantido que a melhor ração para um determinado cão o seja para um outro, já que cada caso é um caso, mas há certas linhas gerais que poderão ser seguidas de modo a que haja um encaminhamento no melhor sentido.
O primeiro ponto a salientar é que se deve dar sempre primazia aos ingredientes em detrimento da composição, já que ingredientes de boa qualidade darão obrigatoriamente uma boa análise química. O rótulo deve ser claro e sem ambiguidades. Isto é, se aparecer uma denominação como “produto de ovo” nunca saberemos se se está a falar de ovos frescos ou ovos podres. O mais provável é tratar-se desta última situação.
1 As fontes de proteína animal
Este deve ser sempre o ingrediente a figurar em primeiro lugar no rótulo de uma boa ração. Significa que é o ingrediente presente em maior quantidade. Pode aparecer carne de vaca, borrego ou mais frequentemente de galinha. O borrego torna-se mais recomendável quando o cão a alimentar é propício a desenvolver alergias.
Neste aspecto há que ter atenção se a percentagem apresentada se refere à carne desidratada ou não, caso em que cerca de 60% desse peso será água. Isto significa que este ingrediente em vez de primeiro passa para terceiro ou quarto.
Uma outra coisa a ter em conta é se os ingredientes seguintes não são todos derivados do mesmo. Por exemplo, gérmen de trigo, farinha de trigo,…. O trigo passa assim a 1º ingrediente.
2 O arroz
Idealmente, este deveria ser o único cereal encontrado numa ração, já que é o único que o aparelho digestivo canino consegue digerir. De qualquer modo, uma ração que tenha como primeiro ingrediente uma proteína animal e como segundo o arroz, será uma boa candidata a uma ração de qualidade.
3 O milho
O milho, embora inferior ao arroz, é o cereal menos mau entre todos os outros. Consegue ser digerido uma vez que sofre um pré-processamento de modo a tornar os seus nutrientes acessíveis. É utilizado geralmente por se tratar de uma fonte de proteínas barata e por essa razão, uma boa ração terá que complementar a sua utilização com outras fontes proteicas de valor nutritivo superior, uma vez que o milho não contém todos os aminoácidos necessários.
No caso de cães com problemas comportamentais de agressividade, as rações baseadas em milho devem ser de todo evitadas.
4 Ingredientes a evitar
Estes incluem todos os ingredientes que a partir do momento que se encontrem num rótulo, essa ração deve ser liminarmente rejeitada.
O pior e mais assustador de todos são os sub-produtos animais, pois pode conter em si animais eutanasiados ou apanhados nas estradas mortos, para já não falar de penas ou bicos, sem qualquer valor nutritivo.
Relativamente aos cereais devem ser excluídos todos os que não foram referidos anteriormente, tais como o trigo ou a soja, sendo esta última de todo indesejável.
Devem evitar-se ainda os aditivos, que não servem para mais do que atrair os donos menos prevenidos. Os corantes são o caso mais gritante de algo que só é prejudicial mas que está presente para que o dono ache que está a dar cenoura e verdura porque a ração tem croquetes laranja e verdes. Qualquer aditivo será muito específico para cada cão e por isso deve ser adicionados em casa, já que o que é benéfico para uns, noutros poderá inclusive provocar alergias. São exemplo de aditivos a glucasamina, a iúca, probióticos ou óleos.

Em jeito de conclusão, é necessário não olvidar que numa ração, seja ela qual for, nunca haverá certezas quanto aos ingredientes presentes e a qualidade dos mesmos, mas sendo que a preparação de refeições caseiras exige grandes conhecimentos sobre nutrição canina, para além de uma grande disponibilidade de tempo, a ração torna-se na solução mais fácil e prática. Resta escolher o melhor possível entre as que oferecem maior confiança, e para isso é necessário ler os rótulos com espírito crítico. Uma coisa é certa: uma ração barata não será em nenhum caso uma ração de qualidade.

O Labrador dos nossos dias


Como podem ter apreciado, a primeira grande utilização do Labrador foi na pesca e caça, mas hoje em dia as suas funções são das mais diversificadas possíveis graças ao seu excelente carácter e inteligência. A maior utilização actual é como cão de companhia, pois é um animal muito afectuoso, sempre pronto a servir o seu dono e que adora crianças, conseguindo toneladas de paciência para suportar as diabruras dos mais pequenos sem nunca manifestar qualquer sinal de agressividade. Além de ser um excelente cão de estimação, o Labrador continua a ser bastante útil a sociedade moderna, continuando a cumprir suas tarefas na caça como também para assistência a deficientes visuais e não só, também são utilizados pela polícia para detectar droga ou explosivos e igualmente utilizados como cão de busca em escombros e salvamento em água. Como podem ver tarefas não faltam aos nossos amigos!

Alguns Conselhos

O Labrador é um cão que se adapta a quase todo o tipo de lugar e condições, pode perfeitamente viver num apartamento na cidade, mas não dispensa os seus passeios diários, como qualquer cão. Em casa torna-se num cão pachorrento mas no fundo está sempre pronto para a brincadeira.

A sua manutenção é muito simples, basta uma escovadela semanal e um banho de longe a longe, pois a sua pelagem dupla e impermeável ajudam-no a mantê-la limpa.

É um cão excelente para principiantes, pois tem uma capacidade de aprendizagem muito rápida e fácil. Não gosta muito de estar sozinho, por isso não se esqueça de o compensar sempre que estiver com ele. O seu maior defeito é ser bastante guloso, e por isso tem tendência a engordar, portanto tenha cuidado com a sua alimentação, não se deixe enganar com o seu olhar de piedoso e esfomeado. De preferência dê-lhe uma boa ração ”Premium” (sobretudo no primeiro ano de crescimento) e será o suficiente para que se mantenha um cão forte e saudável de pêlo lustroso.

Da mesma forma, durante o período de crescimento, não o obrigue a esforços fora do normal como subir escadas e exercício em demasia, e acima de tudo cuidado com as brincadeiras em chãos escorregadios, pois estes factores tanto como uma ração deficiente podem ser causadoras do aparecimento de doenças como a displasia da anca e outras.

O Labrador e a água

LABRADORA água exerce um fascínio mágico em qualquer Labrador, ele não só gosta de chapinhar mas também nada fluentemente e bem. O movimento na água favorece a sua saúde e fortalece os músculos do esqueleto. Dê-lhe essa possibilidade, sempre que puder.
Ao princípio, vá com ele para a a´gua, nade ao pé dele e mostre-lhe claramente que se está a divertir. Mais tarde, em terra, atire para a água um brinquedo flutuante, uma bola de ténis, um pauzinho, etc., e diga «traz». Espere na margem que ele venha para terra, espere que ele se sente e tire-lhe então a presa.
Se o pêlo ficou sujo, lave o cão com um pano molhado e depois esfregue-o até ficar seco.
Não lave, de modo algum, o seu Labrador desnecessariamente - qualquer champô destrói a camada protectora natural do cabelo contra a humidade e sujidade - pode ficar quebradiço e sem brilho. Só é aconcelhável um banho (com um champô especial) no caso extremo. Ou por ordem do veerinário ou se tiverem entrado elementos nocivos no pêlo.
Mangueirada de água doce é do melhor e eles adoram.
Abraço

UM BOM CRIADOR

Todo o Labrador criado com responsabilidade tem uma árvore genealógica, onde estão registados os pais, oa avós e os bisavós. L.O.P. é o registo desta árvore genealógica no Livro de Originais Portugueses do C.P.C.
No caso de querer fazer criação, saberá quais as cores que o seu cachorro herdou geneticamente.
Ao comprar um cachorro, um bom criador dar-lhe-á, além do LOP, o certificado de vacinas, pois um animal nunca deve ser entregue sem ter feito antes uma imunização básica. Mas, antes de escolher um cachorro, deverá em todo o caso, se possível, visitar diversos criadores para tirar informações e ver várias ninhadas.
Pergunte, se estiver confuso. Um bom criador terá paciência para responder às suas perguntas e não lhe leva a mal, se não conseguir decidir-se logo à primeira, mas só após várias visitas. Os critério seguintes dir-lhe-ão se se trata simplesmente de um "negociante de cães", ou de um criador responsável:
  • Existe ao pé do caixote da ninhada um sítio onde as pessoas se possam sentar ou deitar?
  • O recinto onde está a ninhada, está limpo e cheira bem?
  • A cadela-mãe parece saudável e contente?
  • Quando entra no recinto, os cachorros mostram curiosidade, sem sinais de timidez ou de agressividade?
  • A mãe e os cachorros cumprimentam o criador?
  • O criador sabe dar informações de cada cachorro e da mãe sobre particularidades de temperamento e comportamento?
  • Ele consegue pôr os cachorros ao colo sem que a mãe ameace?
O NOSSO CONSELHO
Quando lhe mostrarem o cachorro, peça que lhe mostrem também a mãe. Um criador sério dedica bastante tempo a falar consigo e, da mesma maneira que você o avalia, ele também o examina a si. Quando se decidiu por um criador, e talvez também já por um determinado cão, deve ir de vez em quando visitar a ninhada até à data da entrega.
Abraço

Cãovaroti

Labrador

Fazer criação

Cruzar dois cães de raça implica muitos factores a ter em conta. Ascendência dos cães a cruzar, local e condições do "salto", temperamento da fêmea, qualidade dos exemplares, etc, etc.

Mas para mim o mais importante para se fazer uma criação de qualidade, acima de tudo o que é necessário é TEMPO
Se não vejamos:



Os "babes" muito pequeninininininhos.















Suplemento durante 24HORAS



A mamar, mamar, mamar, mamar, mamar...
Todas estas fotos só ilustram o que de bom engraçado e bonito tem uma criação.
Não esquecer:
24 horas de disponibilidade total!
Filhotes que morrem ao nascer
Cadelas sem leite!
Cesarianas!
Limpar, limpar, limpar (sempre antes de tirar fotos também. 24 horas)
Aquecer 24 horas
Vacinas (x8 ou mais)
Desparasitação (x8 ou mais)
Ração de qualidade (um saquito de 15kg por semana. 60€)
Esgana
Parmovirose
Cachorros que morrem ao fim de um mês
Controlar, limpar e alimentar 11 cachorrinhos durante + 1 mês
Vender e dar cachorrinhos (UFA)
A quem?

Depois disto tudo o que eu posso dizer é:

ADORO
Um abraço

"Eu dou 1 metro de caleira"

Campanha "Eu dou 1 metro de Caleira"

Como todos sabem a Associação dos Amigos dos Animais Abandonados da Moita, continua muito empenhada em terminar as obras do seu novo abrigo por forma a salvar os seus 350 animais.

Todas as campanhas, quermesses e outras iniciativas têm sido muito úteis mas insuficientes na angariação de fundos para compra de todos os materiais.

Assim, e porque estamos em fase de compra da Caleira para os esgotos, lançamos o desafio de pedir a todos os amigos dos animais que ofereçam UM METRO DE CALEIRA...

Serão necessários 250 mts de caleira e cada metro custa € 2.07 + Iva ou seja € 2,51.

O NIB da associação é 003300000028444338305, e muito agradecemos que nos comuniquem para o mail animaidamoita@sapo.pt sempre que for efectuado um depósito de donativo especificamente para esta "empreitada".

Vamos todos juntos tornar este sonho realidade e dar uma nova casinha a estes animais que um dia já tanto sofreram.

Bem hajam
aaaamoita.com.sapo.pt

O SR. CÃO

Olá Tiago,

Obrigado pelo convite. Eu também sou uma apaixonada por estes maravilhosos animais.

Os Retrievers do Labrador são realmente fantásticos. Amam o seu dono, são meigos, atletas mas tb trapalhões, bons babysitters,EXCELENTES companhias.

São uma dádiva do divino.
Au

Isto é um LAB


Para completar o post anterior. Cá vai mais uma definição do que é um Retriever do Labrador:

Classificação F.C.I.: Grupo 8 - Cães Levantadores e Cobradores de Caça e Cães de Água. Secção 1 - Cães cobradores de caça Estalão FCI no 122 - 29 de janeiro de 1999. País de origem: Grã-Bretanha Nome no país de origem: Labrador Retriever Utilização: Cão de caça

Aspecto geral: Constituição robusta, muito activo; o crânio é largo; o peito e as costelas são largos e profundos.

Características gerais: Cães muito amigáveis e tranquilos. Trabalhadores, mansos, carinhosos e alegres. Nunca são agressivos e não caçam furtivamente. São nadadores apaixonados, tanto no verão, como no Inverno. São bons para principiantes e necessitam de manter um contacto estreito com a família e desempenhar uma função activa nela.

Temperamento: Muito inteligente, perspicaz, obediente, com forte desejo de agradar o dono. Muito sociável, sem qualquer tipo de agressividade sem ser medroso.

Cabeça e crânio: Grande e largo com Stop bem pronunciado e adelgaça ligeiramente até ao focinho. As mandíbulas são de comprimento médio, poderosas e não afilados. Trufa larga, com narinas bem desenvolvidas.

Olhos: Tamanho médio e de cor castanha ou avelã, com expressão inteligente e sempre atentos.

Orelhas: De tamanho médio bem inseridas bem altas no crânio, e são caídas e coladas a cabeça, bem para trás.

Maxilares: Os maxilares e os 42 dentes são fortes e talhados de forma perfeita, com a mordedura em tesoura, isto é, os incisivos superiores sobrepõem-se aos inferiores encaixando perfeitamente.

Pescoço: Forte, robusto e não deve ter papadas, inserido sobre espáduas longas e inclinadas.

Membros anteriores: Ombros são direitos e os membros anteriores apresentam uma ossatura bem desenvolvida e recta, desde os cotovelos até o solo.

Membros posteriores: Bem desenvolvidos. Garupa bem desenvolvida, sem inclinação em direcção à cauda. Joelhos bem angulados.

Tronco: Peito de bem largo e profundo, com costelas arqueadas em barril. A linha dorsal é direita e o lombo é largo, curto e forte

Patas: São redondas e compactas; dedos bem arqueados e almofadas plantares bem desenvolvidas e com membranas interdigais.

Cauda: É muito grossa na base, adelgaçando gradualmente até a ponta, comprimento médio e é completamente revestida por pelo curto e denso sem franjas. Ela posiciona-se alta sem enrolar ao nível das costas

Andamento: Bem equilibrados sobe solo. Os anteriores e posteriores muito bem alinhados.

Pêlo: O seu pelo é curto e denso, com ligeira aspereza ao toque, sem ondulações ou franjas; sub-pêlo resistente às intempéries e faz do Labrador um cão para todos os climas que quase não precisa de escova e banho.

Cor: O Labrador pode apresentar-se com 3 cores: o Amarelo o Preto e o Chocolate.

Amarelo – Vai desde o Beije clarinho ao escuro. Em algumas partes, predomina uma coloração mais escura que a do resto do corpo. É permitido uma pequena mancha branca no peito.

Preto – O Labrador preto deverá ser negro por inteiro e seu pêlo deve ser brilhante e lustroso. É permitida uma pequena mancha branca no peito.

Chocolate – Deve variar entre a cor fígado e o chocolate escuro devendo ser brilhante e lustroso. É permitida uma pequena mancha branca no peito

Talhe: Altura ideal ao garrote é, de 56 a 57 cm, para os machos, e de 54 a 56 cm, para as fêmeas.

Penalizações: Qualquer desvio do padrão, deve ser considerado como falta e penalizado na exacta proporção da sua gravidade.

OBS: Os machos deverão apresentar os dois testículos, com aparência normal, completamente descidos e bem acomodados na bolsa escrotal

As minhas "meninas"

Olá amantes dos Labradores. Criar este blog não é mais do que prestar mais um tributo a esta excelente raça de canideos que são os Retrievers do Labrador. Aqui podemos expôr os nossos interesses e as nossas emoções. Tudo em favor dos nossos "meninos". Eu sou o Tiago, tenho 31 anos e sou da Maia. Casado, com três filhas e duas cadelas LAB. Sou um apaixonado da raça.


A minha "menina" mais velha é a Becky e nasceu à 5 anitos e meio. É preta e uma grande atleta.

cachorro labradorA Khim(possible) é a minha caçula com quase 1 ano. É amarela mas quase branca. É uma trapalhona!

O que estas meninas mais gostam é de nadar, saltar e chafurdar na água. São umas loucas! A Becky teve já uma ninhada. A Khim é filha dela. Para primeiro parto parecia que já tinha muita experiência. Fez tudo sozinha e correu tudo muito bem (quase, morreu um). Os cachorrinhos eram uns "pestes". Sujar, correr, roer era tudo o que faziam. Mas cá em casa adorámos.

Para todos os que cá vierem:

cadela labradorPARTICIPEM!

Contem a vossa história e dos vossos cães.
Critiquem! Falem.

Usem e ...
Façam de conta que estão em vossa casa...

...MAS...

...apanhem a bosta!

Um abraço Tiago

Retriever do Labrador


Introdução
O Labrador Retriever, ou simplesmente Labrador, é originário de Newfoundland ou Terra Nova, região inóspita e fria situada na costa oriental do Canadá, onde ajudava os pescadores a puxar as redes para terra. Datava então o século XV quando a terra é descoberta por John Cabot já não existiam esquimós pescadores no local e portanto, também os cães haviam desaparecido. Não foram encontrados vestígios de cães na ocasião mas mais recentemente, e através de pesquisas arqueológicas, foram descobertos restos de um cão grande, possivelmente um ancestral do Terra Nova. Entre estes vestígios encontraram-se dois tipos de cães: um maior em aspecto muito semelhante ao Terra Nova, e um outro menor com a mesmas características que o maior mas cuja pelagem seria mais curta, escoando melhor a água. Acredita-se que este menor teria vindo da Grã-Bretanha, e seja o antepassado mais próximo dos Labradores actuais. Assim sendo, continua a ser um mistério a origem daquele cão mais pequeno.
Das costas canadenses foi introduzido em Inglaterra por volta de 1830, onde, pelo seu excelente faro, ganhou novas funções, sendo considerado um excelente cão de caça. A sua natureza é nitidamente de Retreiver: actua em parceria com o dono, esperando que o dono dispare contra a ave para em seguida a trazer com grande rapidez. Os obstáculos que lhe possam aparecer não constituem grande problema, aliás, seja em terra ou na água, é um cão que trás sempre a presa consigo. São hábeis competidores de agility e de provas de obediência.
Descrição
O Labrador é dotado de um físico forte, de tamanho médio, com forte resistência para a caça. Tem um excelente faro, bom temperamento, muito ágil, companheiro dedicado e da fácil adaptação ao meio.
O comprimento do ombro à base do rabo deve ser ligeiramente maior que a altura da cernelha ao chão. A distância do cotovelo ao chão é igual à metade da altura da cernelha ao chão. O peito deve estender-se na altura dos cotovelos. O corpo deve dar uma aparência recta, não deve parecer baixo, alto demais ou com pescoço muito fino. Quanto à cabeça, o stop deve ser largo, mas sem exageros. A testa deve estar mais pronunciada para que o stop não permaneça em linha recta com o nariz (trufa). Não deve mostrar-se o osso occipital, no mínimo que seja. Os maxilares são fortes e bem aparentados, com mordedura em tesoura perfeita.
A trufa está bem representada com narinas bem inseridas. O nariz deve ser largo e as narinas bem desenvolvidas. A trufa deve ser preta em cães pretos ou amarelos e acastanhada em chocolates. Os dentes devem ser fortes e regulares. As orelhas devem ser inseridas “penduradas” na cabeça um tanto mais baixo que a testa, ligeiramente acima da linha dos olhos. As orelhas nunca devem ser grandes ou pesadas. Os olhos devem ser de expressão amigável, dando mostras do seu bom temperamento e inteligência.
Devem ser de tamanho médio, medianamente profundos. A cor deve castanha em exemplares pretos e amarelos e nos chocolates os olhos devem ser avelã. As orlas devem ser pretas em Labradores pretos ou amarelos e chocolates em Labradores chocolate. O pescoço de ter um tamanho médio, bem inserido acima dos ombros. O corpo deve estar bem colocado, forte, não chegando a engrossar como na parte traseira dos Bulldogs. A cauda é um dos elementos mais importantes na raça: deve ser muito grossa na base, afunilando para a ponta, de comprimento médio, não deve possuir franjas, bem revestida de pêlos grossos, criando uma imagem muito arredondada que lhe valeu a alcunha de “cauda de lontra”. Deve ser portada recta, seguindo a linha superior.
Ela dá ao Labrador uma aparência de equilíbrio, aparentando uma linha imaginária, da cernelha à ponta do rabo. Os membros anteriores devem ser musculosos e bem ajustados com os posteriores. Os membros posteriores devem dar uma aparência forte, mas elegante e devem ser portados rectos. Os ombros são bem colocados a devem ter uma boa inclinação, formando com o membro superior um ângulo de aproximadamente 90 graus. As patas devem ser rectas, quando vistas de trás. As almofadas plantares são bem desenvolvidas e de coloração preferencialmente preta. O pezunho deve ser removido. A movimentação deve ser livre, não evidenciando falhas, como cotovelos “para fora”. as patas devem andar juntas, formando uma linha recta dos dois lados. Vendo de trás ou de cima, os membros de trás fazem quase uma linha recta com os da frente.
Observações
É uma raça que precisa de muito exercício já que tem grande tendência para a obesidade.
Como na maioria das raças que concentram muita atenção em si pela sua beleza, também o Labrador sofreu com a criação indiscriminada e daí surgem os muitos problemas relacionadas com cruzamentos geneticamente não recomendados. Ainda não foi encontrada uma prova científica que associe a cor do cão à sua agressividade contudo a maioria dos problemas acontece com cães de cor amarela e chocolate. De acordo com as recomendações feitas pelos especialistas, nunca se deve cruzar um cão amarelo com um chocolate, nem dois chocolates por mais de três gerações sucessivas, ou dois amarelos por mais de quatro gerações, sem introduzir um preto.
Tipo de Pêlo
A pelagem é outra das características distintivas da raça. Deve ser curta, densa, recta, devendo ser lisa a olho nu mas áspera ao toque. Macia e resistente à água, frio, calor e outras intempéries. Podem surgir alguns pêlos mais ondulados junto da parte traseira. Existem três cores mundialmente conhecidas: o amarelo, o preto e o chocolate. A variante amarela é aquela que tem captado mais admiradores apesar de ter sido a última a ser reconhecida, em 1959. a preta, a mais antiga das três cores foi reconhecida já em 1905. a cor chocolate é igualmente antiga, surgindo do cruzamento de Labradores pretos com outros cães.
A cor amarela varia desde a coloração creme claro ao vermelho raposa. Em algumas partes predomina uma coloração mais escura que a do resto do corpo. Permite-se uma pequena mancha branca no peito. Os olhos devem ser castanhos ou avelãs. A cor preta aplica-se a todo o cão, podendo no entanto admitir-se uma pequena mancha branca no peito. A pelagem deve ser brilhante para demarcar ainda mais a tonalidade. Os olhos devem ser castanhos ou avelãs. Nos exemplares de cor chocolate a tonalidade deve variar da cor fígado ao chocolate escuro. Deve ser muito brilhante e lustrosa. É permitida uma pequena mancha branca no peito.
Temperamento
Afáveis mesmo com outros cães e animais domésticos, carinhosos, amigos das crianças, dedicados, muito apegados aos donos, nada agressivos, têm grande necessidade de estar perto dos donos, não gostam de ficar sozinhos, pelo que podem facilmente destruir tudo o que estiver ao seu alcance, desde jardins inteiros às almofadas dos sofás. São muito inteligentes, daí serem utilizados como guia para cegos e como cão farejador em busca de drogas. É um cão que esbanja energia e está sempre disposto para brincar, especialmente em brincadeiras que envolvam os seus instintos de caçador. É capaz de passar horas seguidas a correr atrás de uma bola que lhe seja atirada, e devolve-a tão eficazmente como se de uma presa se tratasse. É um cão que ladra pouco e que não estranha a presença de estranhos pelo que é desaconselhado como cão de guarda.
Abraço
Tiago

LinkWithin5

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...